Quero ser Eu!

with 1 comentário

Tenho observado com muita frequência as pessoas expressando muito à vontade quanto à decisão de “viver o eu”.
Percebi também que de geração em geração diminui a idade dessa decisão.
Mas de fato o que significa esse “ser eu”?
Fazer o que bem entendo, “tocando terror” de vez em quando para chamar atenção alheia, sem me dar conta que pra isso, pelo menos, eu deveria assumir tal terror?
Possuir um poder e em nome do “sistema” agir de maneira a engolir meus valores, se é que os tenha?
Agir de maneira a agradar o alheio o tempo todo e pedir reconhecimento depois?
Ou, ainda, culpar a todos por minhas escolhas?
Entendo que ser eu mesmo é agir de maneira voluntária e estar em dia com minha consciência.
Possuir todo tipo de poder e usar somente a meu favor intelectual e não contra o mundo.
Saber e reconhecer eu mesmo, meu potencial, reservá-lo e usá-lo em momentos adequados, que não me traga consequências, e que eu não as espere.
Já que o equilíbrio pode aparecer na maioria dessas situações, meu “eu” vira de maneira intencional.

Uma resposta

  1. Juliana Maestri
    | Responder

    Otimo, busca contante que nos revela segredos intimos!! Adorei o texto!!

Deixe uma resposta